Seguros

Dependentes no plano de saúde: o que eu preciso saber a respeito?

Dependentes
Escrito por Eusebio Garcia

Ter um plano de saúde é fundamental, principalmente para quem tem filhos, e poder incluir dependentes é algo necessário em diversos momentos. Mas, afinal, quem pode ser considerado um dependente em potencial?

Se essa é a sua dúvida, então está no lugar certo! Nesta postagem, abordaremos as principais informações para quem está pensando em adicionar um dependente no plano de saúde. Confira!

Quem pode ser dependente?

Segundo a legislação, podem ser considerados dependentes os parentes consanguíneos de primeiro a terceiro grau, como filhos, pais, tios, sobrinhos, netos ou avós. Além deles, esse direito é assegurado aos cônjuges, mesmo em união estável e nas relações homoafetivas.

Os parentes por afinidade, como sogro e sogra, também podem ser incluídos como dependentes no plano de saúde, mas sempre é bom verificar as regras específicas de cada seguradora.

No plano de saúde pode aderir como dependente apenas cônjuge e filhos seguindo a regras da ANS. São elegíveis ao plano de saúde os dependentes legais conforme o Código Cível Brasileiro.

Já os planos odontológicos são mais flexíveis devido ao baixo risco financeiro dos tratamentos para o seguradora e abrem a opção para pais, tios, sobrinhos, netos e até avós.

O que é preciso saber antes de incluir um dependente?

Para a inclusão de dependentes a operadora sempre pedirá uma documentação que comprove o vínculo entre o titular do plano, e o potencial e variará de acordo com o grau de parentesco ou tipo de vinculo.

RG, certidão de nascimento, de casamento ou a declaração de união estável estão na lista de documentos a serem solicitados. Atente-se para os possíveis custos e carências que podem incidir sobre a inclusão do seu dependente!

Caso seja um plano empresarial coletivo, a empresa poderá solicitar algumas documentações a mais para registro interno e também poderá limitar quem são os dependentes que podem aderir ao plano.

Qual a idade limite para manter os filhos no plano?

Isso dependerá muito das regras estabelecidas pela operadora de planos de saúde. A maioria limita a idade aos 21 anos, contudo existem aquelas que estendem esse prazo.

Quanto à idade mínima, o direito de participação no convênio de seus pais está assegurado desde o nascimento, e também vale para filhos adotivos, enteados e tutelados, precisando, apenas, comprovar o vínculo.

Como incluir um dependente?

Antes de tudo, é preciso verificar junto à operadora se a cobertura do plano de saúde escolhido permite a inclusão de dependentes. Caso a contratação seja feita pela empresa, você deve procurar o departamento de gestão de pessoas (RH) que também poderá ser consultado e esclarecerá todas as suas dúvidas.

Após essa primeira comprovação, é só entrar em contato com o RH e solicitar a lista com as documentações necessárias para a inclusão de dependentes. Recomenda-se que, ao realizar uma inclusão, essa seja feita por escrito, comprovando sua solicitação.

Quais as vantagens de colocar dependentes no plano de saúde?

O principal ponto é a seguridade que os dependentes terão em questões de saúde. Quem tem filhos sabe o quanto um plano de saúde é importante. Mas não apenas para eles. A inclusão de pessoas na melhor idade também é fundamental para manter a qualidade de vida.

Incluir dependentes é um direito do titular.

Para recém-nascidos, a inclusão é obrigatória quando o plano oferece atendimento obstétrico. Contudo, se for o caso, todos os dependentes terão que passar pelo período de carência estipulado pela operadora.

A inclusão de um dependente no plano de saúde não é um processo complicado, porém é preciso cumprir as exigências das operadoras, que não podem se recusar a incluí-lo. Caso o façam, poderão ter que pagar multas aplicadas pela ANS de até R$ 50 mil.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o assunto, compartilhe este conteúdo em suas redes sociais e ajude a espalhar o conhecimento!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This