Mitigação de Riscos

Quais são as 6 principais doenças ocupacionais e como evitá-las?

doenças ocupacionais
Escrito por Eusebio Garcia

As doenças ocupacionais são responsáveis por um alto volume de afastamentos de trabalho, bem como por aposentadorias por invalidez. Também podem causar problemas como queda na produtividade, insatisfação e perda de motivação, entre uma série de outros problemas.

Um ambiente seguro de trabalho é responsável por trazer maior segurança e conforto para os colaboradores, garantindo melhor clima organizacional e, também, protegendo o seu corpo de funcionários.

Pensando nisso, neste texto, conheça quais são as principais doenças ocupacionais e tire as suas dúvidas sobre o tema. Boa leitura!

1. Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT)

Ambas as doenças são geradas por repetições nas atividades laborais, podendo ocasionar dores crônicas em seus colaboradores.

Elas atingem as mais diversas atividades, internas ou externas, e podem ser confundidas com dores passageiras pelos médicos do trabalho. Entre algumas das lesões e doenças presentes nesse grupo, estão as mialgias, tendinites e bursites.

Promover um ambiente ergonômico é fundamental para evitá-las, bem como adotar medidas preventivas, como a inserção de ginástica laboral e alongamentos durante a rotina de trabalho.

2. Asma ocupacional

Muitos ambientes geram problemas respiratórios para os seus colaboradores, principalmente devido à exposição de agentes tóxicos ou aspiração de partículas nas atividades laborais.

É o caso, por exemplo, de colaboradores que trabalham em ambiente de obras ou com produtos químicos. A utilização de EPI é fundamental para minimizar esses riscos, bem como buscar formas de reduzir a dispersão desses itens.

3. Dermatose ocupacional

A dermatose ocupacional engloba problemas gerados na pele devido à longa exposição a agentes químicos, físicos ou, até mesmo, biológicos.

Ainda há, também, situações nas quais há exposição à radiação ou, até mesmo, alta luminosidade, que pode causar problemas nessa região. Inclui-se aqui as dermatites de contato, as infecções e o câncer de pele, entre outros.

4. Surdez temporária ou definitiva

Em ambientes com alta exposição a ruídos, é normal que ocorra situações de surdez temporária ou definitiva. O grande problema é que a perda é lenta e gradual, o que pode dificultar a descoberta da questão. Para minimizar isso, é fundamental o uso adequado dos EPIs, como protetores auriculares.

Proteção financeira

Proteção financeira

5. Antracose Pulmonar

Diz respeito a danos irreversíveis gerados no pulmão pela aspiração constante de partículas, como poeira sílica, carvão, fibras de algodão e partículas de ferro, entre outros. Os danos causados podem gerar problemas graves e, até mesmo, risco de morte. Novamente, há a importância no uso dos EPIs necessários.

6. Síndrome de Burnout

Ainda podemos incluir na lista de doenças ocupacionais aquelas relacionadas ao estresse crônico, sendo a mais comum delas a Síndrome de Burnout.

Ela ocorre, normalmente, por ambientes de trabalho com alta pressão, estressantes e com descanso inadequado. Condutas desse tipo dos gestores também podem colaborar negativamente para isso.

Seus principais sintomas são cansaço, fadiga mental, irritabilidade, dores de cabeça, dores de estômago, crises de ansiedade e depressão. Com isso, pode gerar incapacidade para a realização das atividades.

Infelizmente, o seu crescimento é alarmante e, portanto, é fundamental estar atento para gerar um ambiente seguro não só para doenças físicas, mas também para questões de saúde mental.

Para evitar a ocorrência das doenças ocupacionais na organização, é fundamental ter uma postura preventiva, observando quais são os principais pontos de ocorrência dessas questões e saber de que forma intervir.

Além disso, oferecer seguros de saúde e planos para os seus colaboradores permite que eles possam buscar auxílio junto aos médicos na ocorrência de problemas, tratando a questão precocemente. Por isso, não deixe de investir nesse benefício de forma qualitativa.

Para saber mais consulte o site do Ministério do Trabalho.

Este conteúdo lhe ajudou? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e leve-o para os seus amigos!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This