Gestão de Pessoas

Estresse ocupacional: quais os impactos e como evitá-lo?

Estresse ocupacional
Escrito por Eusebio Garcia

Saiba quais são os impactos e formas de como evitar o estresse ocupacional.

O termo “ocupacional” refere-se a emprego, trabalho, ocupação e palavras relacionadas. Assim, quando estamos discutindo as patologias da ocupação, uma das mais relevantes é o estresse.

Os colaboradores sofrem grande impacto com as transformações sociais, tecnológicas e econômicas que a sociedade enfrenta nos dias atuais, dando novos caminhos e sentido ao trabalho.

Os profissionais da era globalizada fazem parte de um cenário formado por vários elementos, como o aumento da mão de obra terceirizada, a alta competitividade e a concorrência acirrada, causando desgastes fisiológicos e mentais ao corpo humano. O estresse ocupacional tem ganhado cada vez mais espaço em assuntos empresariais.

Neste post falaremos mais sobre esse mal e seu impacto nas empresas. Acompanhe!

O que é estresse ocupacional?

Estresse é um conjunto de perturbações ou instabilidade orgânica e psíquica ocasionadas por vários estímulos, como a condição climática, as condições de trabalho e emoções. O desequilíbrio está na base da compreensão do conceito de estresse, no caso, na ligação entre ocupação e trabalhador.

Logo, compreende-se estresse ocupacional como o cenário de respostas pouco adequadas à estimulação física e emocional resultante das exigências do ambiente de trabalho, das capacidades necessárias para realizá-lo e das condições dos colaboradores. Em alguns cenários, o estresse ocupacional não tratado pode causar a síndrome de Burnout, definida pelo esgotamento psíquico e físico por causa do trabalho.

Quais são os sintomas desse tipo de estresse?

Os elementos que causam o estresse ocupacional são denominados “riscos psicossociais”, e são:

  • falta de controle ou autonomia sobre os processos;
  • baixo apoio social;
  • compensação insuficiente;
  • carga de trabalho excessiva;
  • horário de trabalho incompatível ou pouco flexível, entre outros.

No ambiente de trabalho, a exposição frequente à pressão pode promover altos níveis de estresse, causando esses efeitos patológicos. Elementos como trabalhar por muitas horas, ter muito ou pouco trabalho, objetivos e prazos de entrega não realistas, conflitos com os colegas, entre outros, são considerados causas de estresse ocupacional.

O efeito no desempenho no trabalho provém de situações de ausência, que podem acontecer devido a doenças psicológicas e físicas. Ocasionando a piora na tomada de decisão, redução da qualidade do trabalho, acidentes, má relação com os colegas, falta de criatividade, além de sabotagem. O adoecimento oriundo do estresse causa prejuízos diretos ao trabalhador, mas também à empresa, como veremos a seguir.

Quais são os prejuízos para quem sofre e para os resultados da empresa?

A saúde é a primeira consequência do estresse ocupacional, tanto de forma psicológica como fisiológica. O estresse ocupacional pode levar, em situações mais sérias, a doenças físicas, como: úlceras, DORT, LER e tensão muscular. Inclusive, o estresse pode motivar o abuso de drogas e álcool, o que pode atingir também a relação familiar da pessoa, é o que se chama de consequências psicossociais.

O fator psicológico também é afetado pelas emoções originárias do estresse, como:

  • desmotivação;
  • ansiedade;
  • tensão;
  • preocupação;
  • irritação.

Isso tudo pode refletir na produtividade do colaborador, que traz a tona casos de atrasos, absenteísmo, falta de comprometimento, entre outros.

Todos esses elementos refletem de forma direta na empresa, oferecendo prejuízos a médio e longo prazo. Afinal de contas, ter profissionais estressados pode interferir na minimização dos índices de saída e conflitos pessoais. Além disso, resulta na redução da qualidade do trabalho, da produtividade e baixo rendimento. Por todos esses motivos, é fundamental investir em ações que otimizem a qualidade de vida do colaborador na empresa.

Qual a importância de ofertar plano de saúde para os colaboradores cuidarem de sua saúde?

Aumenta a motivação do seu funcionário

Apesar de simples, os motivos só começaram mesmo a entrar na mentalidade de alguns empreendedores há pouco tempo. Um deles é a tranquilidade que traz aos funcionários que sabem que ele e também seus dependentes estão cobertos em situações de necessidade. Afinal de contas, qualquer pessoa consegue trabalhar bem mais tranquila quando tem a garantia de que estão seguras as pessoas que ama.

Em contrapartida, o funcionário, com acesso à uma ampla rede credenciada, consegue cuidar da própria saúde de maneira preventiva, evitando faltas frequentes. E em um setor em que existem poucos funcionários, a falta de algum deles, principalmente por dias consecutivos, sobrecarrega os outros e atrapalha demais a produtividade.

Permite acesso aos serviços de prevenção reduz o índice de absenteísmo

Assim, é possível não somente prevenir, mas também tratar as dores crônicas, que, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), são os maiores motivos da baixa produtividade, de aposentadoria e ausências no trabalho em todo o mundo. Uma delas é a lombalgia — atinge 80% das pessoas adultas — e a enxaqueca acomete cerca de 20% da população.

Esse é um grande problema para o funcionário, que acaba causando outro estresse que é o risco de ficar desempregado.

Se o funcionário está saudável, a empresa também fica

O fato é que não é somente o funcionário que sente na pele as consequências do prejuízo. Conforme informações da Fundação Getúlio Vargas, a ausência de somente um colaborador é capaz de gerar prejuízo na produção de qualquer média ou pequena empresa. Afinal de contas, funcionário doente, empresa também doente e com prejuízos.

A contratação de um plano de saúde empresarial tornou-se extremamente importante para estimular à melhoria da qualidade de vida dos funcionários, devido ao fato de elas terem ganhado grande relevância no contexto econômico brasileiro especialmente nos últimos anos, diminuindo os índices de rotatividade, de absenteísmo e ainda gerando uma enorme percepção de valor por parte do funcionário para com a empresa.

Hoje, a empresa que disponibiliza somente os benefícios tradicionais perde feio para a concorrência. É necessário dar qualidade de vida ao seu time. Motivo este, as melhores operadoras estão analisando as posturas proativas utilizadas pelas pequenas e médias empresas e elaborando planos e benefícios que abrangem a partir de duas pessoas.

Por fim, o estresse ocupacional tem sido considerado um problema generalizado e que pode prejudicar muito a empresa, os colaboradores e também a sociedade como um todo. Devido a isso, é muito importante ofertar plano de saúde para os funcionários cuidarem de sua saúde, principalmente de maneira preventiva e não somente reativa.

Nós da Alliate podemos ajudar sua empresa na contratação de benefícios para seus colaboradores.

Viu como pode ser fácil evitar o estresse ocupacional em seus funcionários? Então, não perca mais tempo e entre em contato conosco, para conhecer os serviços que oferecemos!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This