Seguros

Descubra a idade máxima para contratar um seguro de proteção financeira

idade máxima
Escrito por Eusebio Garcia

Quando uma fatalidade tira do convívio familiar seu provedor financeiro, invariavelmente o padrão de vida dos dependentes cai de forma drástica. Esse fato se torna ainda mais claro com núcleos de renda baixa ou com os que não têm grande patrimônio acumulado.

Agora imagine que uma tragédia como essa abale sua família. Você se preveniu, deixando segurança a quem mais ama? Um seguro de vida existe exatamente para isso.

Trata-se de uma proteção social cujo objetivo é evitar dificuldades financeiras de quem já está tendo que suportar o luto da perda de um ente querido. Esse produto garante o amparo financeiro de seus familiares no caso de sua falta, mas, é bom que se ressalte, também protege você.

Sim. Já parou para pensar como se sustentaria se uma doença o impedisse de trabalhar? A imensidão de requisitos para ter direito à aposentadoria por invalidez é desproporcional ao tamanho do benefício (que geralmente não ultrapassa 1 salário mínimo).

Seguro de vida também é questão de respeito a si próprio.

Se você nunca deu importância a essa proteção, as próximas linhas despertarão para a urgência em prevenir-se, bem como esclarecer que possivelmente você ainda tem idade para contratar esse seguro! Confira!

O que é seguro de proteção financeira e quais são suas coberturas?

Um seguro de vida é um contrato que você faz com uma seguradora para garantir o suporte financeiro à sua família em caso de seu falecimento.

Mas ao contrário do que supõe o senso comum, essa proteção vai muito além disso. Ao longo de décadas, esse seguro de pessoas foi aprimorado, alcançando outras necessidades do mundo atual, tornando-se mais amplo e muito mais completo.

Além do risco de morte (natural ou por acidente), um seguro de vida protege o próprio contratante em inúmeras situações, que vão desde a liberação do capital ao segurado em caso de invalidez até o pagamento de diárias de internação hospitalar.

Algumas das coberturas que você encontra no seguro de vida:

  • morte (natural ou acidental);
  • invalidez permanente total ou parcial por acidente;
  • Diária por Incapacidade Temporária (DIT);
  • cobertura em caso de diagnóstico de doenças graves;
  • despesas médico-hospitalares e odontológicas;
  • assistência funeral individual ou familiar;
  • majoração — disponível para médicos e dentistas.

Muito mais do que você imaginava, certo? Mas o campo de suporte pode ainda ser muito maior, como ocorre em um seguro auto.

Você pode ainda combinar as vantagens desse seguro com outras coberturas, como a educacional (suporte de despesas escolares dos filhos) e a prestamista (pagamento de dívidas), apenas para citar dois exemplos.

Essa proteção oferece ainda diversas vantagens financeiras indiretas, entre as quais a mais relevante é a isenção do imposto de renda. Aliás, deve ser destacado que essa é uma das pouquíssimas transações ainda livres da mordida do Leão (e em um dos países com a maior carga tributária do planeta, isso é algo para ser ponderado).

Outra virtude desse amparo é que seguro de vida não é considerado herança. Isso significa que quem recebe o benefício não paga o chamado Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), nem precisa se submeter ao longo trâmite judicial do inventário (o dinheiro é pago em até 30 dias após a entrega dos documentos).

Como funciona um seguro de proteção financeira?

O segurado nomeia livremente seus beneficiários (ainda que não sejam familiares) e pode efetuar a troca quantas vezes desejar por meio de preenchimento de formulário disponibilizado pela companhia de seguros. Tudo muito simples e rápido.

Por lei, se não houver indicação de beneficiários, o capital segurado é pago ao cônjuge não separado judicialmente (50%) e o restante é distribuído aos herdeiros (nos termos do artigo 792 do Código Civil).

É importante lembrar também que um seguro de vida difere fundamentalmente de um seguro de acidentes pessoais quanto à sua extensão e complexidade. Enquanto este último é mais enxuto, abrangendo apenas morte acidental, o seguro de vida é um produto completo, cobrindo morte natural ou por acidente, além de um rol extenso de proteções, como as descritas acima.

O recebimento do capital é também extremamente descomplicado e desburocratizado. Conforme já foi dito, após a entrega da documentação (certidão de óbito, certidão de nascimento do beneficiário e apólice), a seguradora tem prazo de até 30 dias para efetuar o depósito na conta bancária indicada.

Geralmente, o seguro de vida é pago de uma única vez, mas há a possibilidade, em alguns casos, de transformar o pagamento do capital em renda mensal. Isso deve ser verificado junto à seguradora no ato da contratação.

Ok, você já percebeu que se trata de um produto bem mais importante do que imaginava, mas ainda está se perguntando sobre as exceções de cobertura.

Fique tranquilo, não são muitas: no que se refere a essas cláusulas excludentes, as mais comuns são:

  • práticas de atos ilícitos dolosos,
  • contaminação radioativa,
  • Lesão por Esforço Repetitivo (LER)
  • e enfermidades preexistentes à assinatura da apólice (e não declaradas à seguradora)

O suicídio não é mais uma exclusão contratual, passou a ser coberto pelas apólices de seguros de vida, porem, há uma carência de 24 meses

É preciso ler minuciosamente o contrato para verificar essas questões, item a item.

Qual a idade máxima para contratar um seguro de proteção financeira?

A idade máxima é uma das dúvidas mais corriqueiras de quem ainda não conhece bem esse seguro de pessoas. O valor desse produto é calculado de acordo com a faixa etária, sendo que quanto menor a idade, menor o prêmio (custo) e maior o capital segurado.

A maioria das seguradoras restringe a entrada de pessoas com idade acima de 65 anos. Algumas seguradoras já impõem limitações a partir dos 60 (no caso de contratação da primeira apólice). Essa regra não se aplica no caso de renovação, em que costuma haver certa flexibilidade para o avanço etário do segurado.

É preciso ponderar, entretanto, que esse teto já foi bem mais baixo no passado. O aumento da expectativa de vida da população é que vai nivelando esse limite, que deve se tornar ainda mais extenso no futuro.

Os mais jovens também têm limitações: o plano tradicional de seguro vida pode ser contratado apenas para maiores de 14 anos. Se você é maior de 14 anos e não ultrapassou os 65 anos, é possível contratar a proteção financeira. Nesse produto essencial e proteger a quem você mais ama e a si próprio.

Não arrisque ficar nas mãos da incerteza do minuto seguinte: entre em contato conosco agora e conheça nossos planos de seguro de vida!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This