Seguros

Saiba por que fornecer informações verdadeiras ao fazer um seguro!

informações verdadeiras ao fazer um seguro
Escrito por Eusebio Garcia

Ao contratar um seguro, é obrigatório responder a um questionário com informações como idade, estado civil, endereço, perfil de risco do bem, perfil de risco do condutor no caso do seguro automóvel. Esses dados auxiliam a seguradora a avaliar o perfil do riso e do segurado em um grupo específico com base na chance de sinistro.

Se o perfil apresentar fatores de risco, o valor da apólice é maior. Mas para tentar baratear o custo, muitas pessoas optam por omitir algumas informações cruciais ou, até mesmo, mentir.

Entretanto, ao tomar esse tipo de atitude antiética, há um rompimento na confiança com a seguradora. No final, uma pequena mentira ou alteração pode sair caro. Ou seja, não passar informações corretas traz complicações na hora em que você mais precisa.

A seguir, descubra a importância de relatar a verdade na contratação da proteção e quais são as consequências de não agir dessa forma.

Perda da cobertura por fornecimento de informações erradas

Ao acionar a seguradora após um sinistro, a empresa checa as informações para validar o pedido. Ao constatar alguma discrepância de dados ou que algo foi omitido, é feita uma sindicância. Então, o segurado perde a cobertura na hora.

Fazer alterações no veículo segurado e não informar o corretor para o mesmo informar a seguradora responsável pelo risco através do endosso também pode levar à perda da cobertura. É o caso de realizar a colocação do kit gás, rebaixar o veiculo, instalar turbo, ou de se cadastrar como motorista de aplicativo.

Isso consta no contrato assinado, o que permite que a seguradora não pague a indenização em casos de desonestidade.

Cancelamento da apólice por informações não verdadeiras

Quem responde ao questionário com inverdades também corre o risco do cancelamento da apólice a qualquer momento. Nesse caso, todo o valor investido na segurança é perdido e o seu bem fica desprotegido.

Se a seguradora constatar que houve má-fé da parte segurada ao mentir, ela se reserva ao direito de cancelar o seguro. Na apólice de automóvel, por exemplo, é o que acontece ao informar incorretamente o CEP ou não listar que há um condutor menor de 25 anos.

Processo judicial

Faltar com a verdade na contratação do seguro pode, inclusive, gerar problemas com a lei. A apresentação de dados falsos configura crime de estelionato.

A situação se complica quando a pessoa causa danos ao bem com o objetivo de receber a indenização indevidamente. Em caso de condenação, a pena varia de 1 a 5 anos de cadeia.

Dificuldade em contratar um novo seguro por fraude

Ao provar que o segurado cometeu algum tipo de fraude, a seguradora evita renovar a apólice, caso não haja o cancelamento.

Ainda pode acontecer de outras empresas seguradoras tomarem conhecimento que o segurado agiu com desonestidade e dificultar um novo seguro.

Afinal, as seguradoras temem ter problemas futuros com esse perfil de cliente. O segurado, então, corre o risco de permanecer alguns anos sem conseguir a aceitação de seus seguros.

Não responder ao questionário com informações verdadeiras prejudica a todos. Afinal, com o aumento de fraudes, as seguradoras são mais cautelosas no momento de aceitar as apólices. Além disso, há uma elevação no preço geral do seguro.

Por isso, é imprescindível ser completamente honesto e fornecer os dados corretos para ter tranquilidade e segurança.

Gostou do post? Então, siga nossos perfis no Facebook, Twitter, YouTube e Instagram para ter acesso a mais conteúdos como esse!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This