Seguros

Coparticipação: O que é e como funciona no plano de saúde

coparticipação no plano de saúde
Escrito por Eusebio Garcia

Ter um bom plano de saúde é o objeto dos desejos de muita gente e a coparticipação colabora na redução da mensalidade.

Com a alta do desemprego e da informalidade, muitas pessoas perderam o plano que era pago pela empresa e se viram sem condições de arcar com um do próprio bolso.

Ao mesmo tempo, as empresas também se veem com dificuldades para bancar esse benefício para os seus funcionários. Isso porque o reajuste dos planos considera a inflação médica — que é mais alta do que a inflação oficial do país — e a sinistralidade, que está ligada ao próprio uso que se faz dele. Ou seja, quando maior o uso, mais alto será o reajuste.

É por isso que a coparticipação no plano de saúde tem se mostrado uma tendência.

Neste post, vamos explicar como funciona essa modalidade, qual a sua importância, os cuidados que se deve ter em relação ao tema e as suas vantagens. Confira!

O que é a coparticipação no plano de saúde?

Existem duas modalidades de plano de saúde: sem e com coparticipação do beneficiário.

No plano de saúde sem coparticipação, o beneficiário paga apenas a mensalidade do plano e pode utilizar todos os procedimentos — consultas, exames, tratamentos, internações, cirurgias etc. — sem nenhum custo extra.

No caso dos planos com coparticipação, o beneficiário paga uma taxa a cada vez que usa o plano. Essa taxa pode ser um valor fixo ou um percentual do preço do tratamento. Por exemplo, pode ser R$ 12,00 por consulta médica em consultório, R$ 20.00 por consulta em pronto socorro, R$ 5,00 por exames básicos, R$ 12,00 exames complexos (Exames de imagens), ou 20% do preço de cada procedimento de acordo com a tabela do plano.

Pelas regras da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), a única restrição é que o valor da coparticipação tem que ser menor do que o preço integral do procedimento. A contrapartida é que os planos com coparticipação costumam ter uma mensalidade mais baixa, o que faz com que eles caibam no orçamento de mais pessoas.

Qual a importância da coparticipação no plano de saúde?

Como dissemos, os custos dos planos de saúde sobem muito mais do que a inflação geral. Parte disso se deve à alta sinistralidade, ou seja, ao uso excessivo dos planos por parte dos beneficiários. A coparticipação estimula um uso mais racional dos serviços, o que, no fim, se reverte também em vantagem para o usuário, que tem que arcar com um reajuste menor a cada ano e consegue manter o plano.

Quais são os cuidados que se deve ter?

Para que o plano com coparticipação seja vantajoso para todos, é preciso analisar com calma. Veja todas as condições detalhadas em contrato, como a forma e o valor dessa coparticipação. Se for muito alto, pode não compensar e pode até mesmo acontecer de você não conseguir arcar com os custos quando precisar do plano.

Esse não é o padrão, mas de qualquer forma é sempre importante conhecer bem os detalhes antes de contratar. No caso das consultas, a coparticipação é cobrada por atendimento e dá direito a um retorno dentro de até 30 dias sem custo extra. Para os exames, é cobrada por procedimento e não por coleta. Assim, se você fizer uma coleta para vários exames, vai pagar cada um deles.

No caso dos exames especializados, a cobrança é individual (por exame).

Já as internações são isentas de coparticipação na frande maioria dos contratos, podendo a empresa optar por ter ou não coparticipação ou o mais usual a franquia. O ideal é que as internações não tenham a coparticipação ou franquia devido ao valor que pesa no orçamento dos colaboradores. A vantagem é que nas internações as consultas e exames realizados dentro da internação também não são cobrados.

Como é feita a cobrança?

A cobrança não é feita no momento do atendimento / procedimento, mas na própria fatura do plano, acrescida da mensalidade. O valor da coparticipação será cobrado em folha de pagamento via desconto e esta é uma comodidade de não precisar dispor de dinheiro no ato do atendimento.

Quais as vantagens de ter coparticipação no plano de saúde?

Como mencionamos, a principal vantagem da coparticipação é que ela “educa” os beneficiários a respeito do uso consciente do plano, evitando abusos. Dessa forma, reduz o reajuste anual e todo mundo sai ganhando. Além disso, no caso das empresas, essa modalidade tende a reduzir o número de faltas dos colaboradores, já que eles automaticamente otimizam o uso.

Agora você já sabe como funciona a coparticipação no plano de saúde, quais são as vantagens que ela traz e os cuidados na hora de contratar essa modalidade.

Quer continuar a leitura e aprofundar seu conhecimento? Veja também o que dever ser observado na contratação de um seguro.

Deseja contratar um plano de saúde para a sua empresa? Clique aqui!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This