Seguros

Já ouviu falar no seguro garantia judicial? Confira 3 vantagens!

garantia judicial
Escrito por Eusebio Garcia

Qualquer empresário que já sofreu as consequências de um processo trabalhista tem a premissa de que, para apresentar um recurso contra decisão, que seja ruim para os interesses da empresa, é preciso recolher o depósito recursal.

Ao longo de processos judiciais ou administrativos, as partes podem ser forçadas a assegurar o juízo para executar algumas ações, como assegurar o andamento ou interpor recursos.

Levando em consideração a maior despesa de outras formas de garantia como a fiança bancária ou o depósito em dinheiro, o seguro garantia judicial pode ser um instrumento para liberar as linhas de créditos bancários e conservar o capital do negócio.

São inúmeras as vantagens do seguro garantia judicial. Pensando nisso, neste post listaremos 3 vantagens sobre esse serviço. Confira!

1. Não compromete o capital de giro ou patrimônio

Utilizar o seguro de garantia judicial como forma de garantia do juízo dificulta a imobilização dos ativos da organização. Dessa forma, seu capital de giro e seus bens estarão livres para que sejam devidamente honrados os compromissos assumidos.

Em nosso país, processos judiciais podem demorar bastante tempo e, por esse motivo, as instituições devem se precaver para não comprometer seu patrimônio por muito tempo, o que não ocorrerá com a utilização do seguro garantia judicial.

2. Substitui a penhora de bens

Em um processo judicial, a forma mais utilizada para assegurar o pagamento é a penhora. O problema é que o valor da indenização pode lesar muito a lucratividade do negócio, assim como a quantidade de empregos criados pela pessoa jurídica.

O Comitê de Pronunciamentos Contábeis fornece o dinheiro, seguro garantia Judicial e a fiança bancária como modos de substituir a penhora, contanto que o montante quite o débito com 30% acrescidos no valor. Ou seja, o dinheiro, seguro garantia e a fiança bancária começam a apresentar o mesmo status, possibilitando a mesma colocação na ordem de preferência legal para essa finalidade.

Tal método ajuda a acabar com uma crise generalizada e na gestão empresarial, visto que conserva o capital de giro das organizações. Caso não haja capital de giro, uma empresa pode sofrer consequências graves, como a própria falência.

3. Proporciona mais rapidez para emitir apólices

Ao solicitar a cobertura desse tipo de seguro, uma pessoa jurídica consegue a emissão da apólice em poucas horas.

Diferentemente do que acontece com a fiança bancária, em que é entre 7 e 15 dias o prazo para liberar o recurso. As empresas que precisam fechar os contratos com urgência acham esse tempo bastante muito extenso para atender aos prazos judiciais. Já no seguro garantia judicial o processo apresenta menos burocracia.

Em situações difíceis, em que o negócio precisa ser protegido, a organização se beneficia disso e, assim, assegura que as obrigações judiciais sejam cumpridas.

Por fim, sempre que for preciso recorrer ao seguro garantia judicial, é muito importante contar com uma corretora experiente. 

A Alliate tem a solução para você! Ela é uma corretora de seguros reconhecida pelo desenvolvimento de soluções para organizações e pela excelência no atendimento, com um alto conhecimento técnico em seguros que garante ações para atenuação de riscos e litígio jurídico.

Agora que você sabe o que é seguro garantia judicial, aproveite para entrar em contato conosco e conhecer os serviços que oferecemos!

Sobre o autor

Eusebio Garcia

Deixar comentário.

Share This